Pontos Importantes para Salvar um Projeto de Pesquisa

Como elaborar melhor um Projeto de Pesquisa
Conheça as dificuldades e soluções para seu Projeto de Pesquisa

Fiz uma pesquisa em outubro passado com meus alunos de projeto de pesquisa e visitantes deste site sobre quais seriam as maiores dificuldades na elaboração do projeto de pesquisa.

Separei os três principais itens citados para desenvolver este texto, de maneira bem direta e objetiva.

A intenção é te auxiliar de verdade!

Mesmo que você não sinta as mesmas dificuldades, sugiro a leitura. E, se tem problemas com outros itens, entre em contato pelo link ao final do texto. Vai ser muito útil, de verdade!

Os três pontos que foram mais citados estão relacionados a:

  1. Tipos de plágio (receio de cometer plágio mesmo sem intenção)
  2. Escrita travada (não consegue avançar na escrita)
  3. Dúvida se o tema é bom

Vamos resolver estes três itens de maneira bem objetiva?

→ Veja o índice do que trazemos hoje:

 

Receio de cometer os tipos de plágio

Resultado da Pesquisa feita com alunos: Medo de cometer plágio
Mesmo sem ter a intenção, você pode estar cometendo plágio

Para falar sobre este assunto, vou citar os tipos de plágio e dar a solução para você ter confiança e não cometer nenhum deslize, combinado?

Tipos de Plágio em pesquisas:

  1. Plágio Literal: Esta é a forma mais direta de plágio, onde o aluno copia exatamente o texto de outra pesquisa sem fornecer os devidos créditos.
  2. Plágio por Paráfrase: Muito comum também. Ocorre quando um aluno reescreve as ideias de outra pessoa, mudando apenas algumas palavras, mas mantendo a estrutura e o conteúdo essencial, sem citar a fonte.
  3. Plágio de Dados: Refere-se à apropriação de dados coletados por outros pesquisadores e apresentados como se fossem do aluno. Estes dados podem ser informações que o aluno pegou de uma pesquisa ou publicação (jornal, revista, documentos, etc) e não citou a fonte.
  4. Plágio de Ideias: Similar ao plágio por paráfrase, envolve a apropriação de conceitos e ideias únicas sem atribuição da fonte.

Existem outros tipos, mas estes são os comumente encontrados em pesquisas e muitas das vezes não há intenção de praticar plágio.

Como professor, recebo muitos trabalhos (TCCs de todos os tipos e Projetos de Pesquisa) onde percebo que, o que acontece é simplesmente a não citação de fonte.

Quer um exemplo de outro tipo de problema (também considerado plágio) bem inocente?

O aluno escreve:

  • Em pesquisa recente…
  • Como se sabe…
  • O conceito X…

E o problema aqui está na falta de atenção do aluno, que pensa que o leitor de sua pesquisa sabe (conhece o conceito, sabe sobre o tema) sobre o que é apresentado no trabalho.

Vamos falar da solução?

Vou explicar melhor e indicar uma ferramenta gratuita para você verificar seu trabalho.

 

Solução para o receio de cometer plágio

Partindo da ideia de que você não tem a intenção de cometer o plágio, mas que tem receio – e até medo – de sem querer ter plágio em seu trabalho, a solução é simples.

Na verdade, são duas soluções.

Apresente fontes de todas as ideias contidas em seu texto. Seja das citações parafraseadas ou de ideias “suas”.

Tente ler seu texto como se não fosse seu.

Se acontecer de não ter a fonte de alguma informação que deu, como o exemplo de “Como se sabe”, procure uma fonte que fale do que apresentou no trabalho e cite corretamente.

Vá completando estas ideias sem fontes que estão presentes em todo seu trabalho.

Também procure o manual de sua instituição.

Certamente sua universidade – ou outro tipo de instituição – disponibiliza um manual para trabalhos de pesquisa.

Nele, deve ter as formas de como citar corretamente, seja pelas normas ABNT ou como sua instituição de ensino deseja que sejam referenciadas as fontes.

Ele deve ser seu guia!

Uma outra solução é usar ferramentas que detectam plágio.

Use o grammarly ou o Plagiarism Detector. São ferramentas gratuitas, com limites, mas que vão te auxiliar a encontrar na internet textos que sejam iguais ou parecidos com seu texto.

Agora, vamos falar sobre sua escrita?

 

Dificuldades na Escrita de sua pesquisa

Como melhorar a escrita do Projeto
Descubra como melhorar na dificuldade da escrita de sua pesquisa

Este problema foi muito citado na pesquisa com meus alunos e visitantes deste site. Mas, que tipo de dificuldade é essa tão citada pelos alunos?

  • Trava na hora de colocar ideias no papel.
  • Não consegue construir um texto com coerência e coesão.
  • O aluno tem um texto muito objetivo e não consegue desenvolver várias páginas para a pesquisa
  • Não entende os itens que deve explicar no projeto (Justificativa, Objetivos Gerais e Específicos, Problema de Pesquisa, etc)
  • Fica com receio sobre se o tema rende uma pesquisa
  • Problemas de clareza nos textos

 

Bom, vamos por parte.

Muitas das vezes o aluno tem realmente dificuldade de colocar ideias no papel.

As vezes até sabe sobre o tema, mas não consegue apresentar de forma textual suas ideias e ter clareza na escrita, sabe?

Muitas vezes é por falta de leitura, ou mesmo falta de contato com este tipo de escrita, que tem uma linguagem própria.

 

Sendo bem objetivo, hoje está mais fácil ter uma análise e um retorno sobre a construção de um texto de pesquisa. Seja um texto como um projeto de pesquisa, um TCC ou um artigo científico.

Minha sugestão como professor é que use uma Inteligência Artificial para isso.

Isso mesmo!

Se você nunca usou, ou mesmo se já tentou, sugiro praticar com partes do texto que você já tem escrito do seu projeto.

É possível enviar uma parte do que já escreveu e solicitar auxílio a este tipo de ferramentas, como o ChatGPT.

Mas, atenção!

Tenha em mente que estou indicando o ChatGPT somente para análise e revisão de seu texto, ok?

Você pode pedir sugestões para seu texto já escrito, como uma revisão mesmo!

Mas, não indico fazer sua pesquisa com ele. Você pode ter problemas se não souber usar ou quiser usar o que é gerado por estas ferramentas de IA.

Para saber construir e ter sugestões para uma pesquisa completa ou para um projeto de pesquisa, você deve ter um passo a passo.

Mas para revisar seu texto e ter sugestões, você pode e deve tentar, mesmo a versão gratuita do ChatGPT.

Tenho usado várias ferramentas de IA com meus alunos do curso de Inteligência Artificial para Pesquisas, que você pode conhecer em: https://projetodepesquisa.com.br/curso-iacademico

Se quiser conhecer, use o link acima e assista ao vídeo. Você vai se surpreender com o conteúdo do curso, que está com um valor bem acessível.

 

Dúvidas sobre seu tema

Como saber se seu tema serve para uma pesquisa?
Saiba se seu tema é bom e se tem fontes para embasamento

Não sabe se seu tema é bom o suficiente ou se rende uma pesquisa? Esta dificuldade também foi bastante citada na pesquisa que fiz com meus alunos e leitores.

E para ser direto na solução desta dúvida que atrapalha e trava a escrita e o início da pesquisa, vamos direto para as possíveis soluções.

Provavelmente você está errando em dois pontos na escolha do tema: a delimitação e a verificação de fontes existentes.

Vamos começar com a delimitação, ok?

Delimitar um tema é dar limites a ele. Pode ser que seu tema esteja muito amplo.

Estes limites podem ser de tempo e espaço. Existem outros, mas vou te mostrar como fazer com estes dois limites.

Acho que vai ficar fácil de entender.

→ Depois, se quiser aprofundar mais, leia o artigo: Como Delimitar o Tema de seu Projeto? 7 Exemplos!

Isso ajuda a dar foco ao trabalho, tornando-o mais fácil de realizar e evita ter que mudar de tema no meio do caminho.

Quer ver um exemplo?

A partir de um tema amplo, refine-o especificando quando e onde sua pesquisa irá focar.

Limitar seu tema por tempo e espaço permite que você aprofunde os detalhes sem se perder em uma quantidade excessiva de informações ou uma área muito ampla.

Imagine, por exemplo, que você está interessado em estudar a “influência da tecnologia na educação”.

Este é um tema bastante amplo, concorda?

  • Que tipo de influência?
  • De quais tecnologias estamos falando?
  • De que parte da educação o trabalho vai cobrir?

Para delimitá-lo, você pode começar definindo um período específico e uma localização geográfica.

Se você decidir investigar “a influência da tecnologia na educação nos últimos 10 anos”, já está começando a focar mais o tema pelo aspecto temporal.

Cobrir uma pesquisa pelo período de 10 anos já é menor – e mais fácil – do que por todo o período.

Agora, para delimitar ainda mais, você poderia especificar um local, como “a influência da tecnologia na educação nos últimos 10 anos no Brasil”.

Ou em determinada escola que você tem acesso.

Opa. Isso iria facilitar muito sua pesquisa, não acha?

Quer aprender a delimitar mais seu tema? Leia o artigo que citei no link acima.

 

Agora, se você acha que seu tema tem poucas fontes existentes, poucos autores falam sobre seu tema. Então, primeiro tenha seu tema delimitado.

Pegue-o e divida em partes.

Vamos ver no exemplo que dei acima: “A influência da tecnologia na educação nos últimos 10 anos no Brasil”

Você pode dividir em:

  • A influência da tecnologia na educação;
  • Tecnologia na educação;
  • Educação nos últimos 10 anos;
  • Educação brasileira; etc

Agora, ajuste seu tema da mesma forma.

Dividindo o tema delimitado, você tem mais chances de encontrar fontes que falam das partes de seu tema.

Procure no Google Acadêmico ou o Scielo, além de outros repositórios de pesquisa.

Ah, no curso passo a passo que te falei acima, tem até um módulo inteiro sobre como encontrar estas fontes de pesquisa com as ferramentas certas de IA. Só não faça isso com o ChatGPT!

E aqui fica meu convite para você conhecer minhas aulas passo a passo, onde mostro ferramentas de IA que auxiliam sem sua pesquisa. Você vai gostar.

Já temos vários alunos e aulas atualizadas! Conheça as aulas em: https://projetodepesquisa.com.br/curso-iacademico

Espero sinceramente que estas dicas façam a diferença para você que está com dificuldades em elaborar seu projeto de pesquisa ou TCC.

Se você tem outro tipo de dificuldade, pode me explicar entrando em contato comigo por aqui.

SOBRE O AUTOR – Fabio Herdy é um professor apaixonado por pesquisa e educação. Formado em Publicidade e Propaganda com especialização em Marketing, possui mais de 10 anos de experiência em pesquisa acadêmica e científica. Vasta experiência como professor universitário e orientador de projetos de pesquisa e TCCs na Universidade Candido Mendes, além de participante de bancas examinadoras de TCCs de diversas áreas de formação. Saiba mais.