Tenha o Melhor Pré-Projeto para Conseguir uma Bolsa

Informações para elaborar um pré-projeto de pesquisa competitivo e obter financiamento para uma bolsa de estudos
Guia completo para desenvolver um pré-projeto de pesquisa e garantir financiamento

Conseguir uma bolsa para financiar uma pesquisa é o sonho de muitos acadêmicos.

Afinal de contas, não se trata somente dos valores, mas do reconhecimento de que sua pesquisa é importante para o desenvolvimento da ciência.

Este é o foco, certo?

Entretanto, por mais que muitos pesquisadores tenham ótimas ideias e objetivos de pesquisas, muitas vezes acabam pecando em detalhes e seus pré-projetos não são aprovados para bolsas.

Então, desenvolvemos este artigo especial mostrando alguns detalhes que você precisa levar em consideração para obter êxito e conseguir a tão sonhada bolsa de pesquisa.

Você vai notar que durante a leitura, deixaremos vários links para outros artigos complementares, o que vai enriquecer seu conhecimento para preparar um pré-projeto para bolsa de estudos!

→ Veja os itens que vão compor este artigo de hoje:

6 pontos principais para ter o melhor pré-projeto de pesquisa

6 Passos essenciais para criar um pré-projeto para o financiamento de sua pesquisa
Confira os seis pontos mais importantes para elaborar um pré-projeto de pesquisa que se destaca

Um pré-projeto de pesquisa bem elaborado é a chance que você tem para conseguir o financiamento dos seus estudos e o reconhecimento que uma instituição financiadora pode te dar.

É no pré-projeto, que você tem a oportunidade de apresentar suas propostas e demonstrar seu potencial como pesquisador(a).

 

Por conta disso, é fundamental que você se dedique muito para fazer o seu pré-projeto com qualidade.

Ele não será elaborado por você da noite para o dia.

Afinal, exige uma pesquisa prévia e uma dedicação para que fique o mais bem elaborado e claro possível, e assim, que chame a atenção dos pareceristas.

Para te auxiliar nesse trabalho, atentamos para algumas etapas da construção de um pré-projeto.

Como dissemos na introdução deste artigo especial, você vai encontrar diversos links para aprofundar nas etapas do desenvolvimento deste seu pré-projeto.

Aproveite!

 

O Tema e o Problema de Pesquisa devem estar claros!

Em um pré-projeto de pesquisa que será submetido para uma agência financiadora, você deve ser o mais direto possível!

Esta é uma regra básica, mas que é realmente um diferencial para ser aprovado para o financiamento de uma bolsa de pesquisa!

Não fique floreando o seu texto com o que não for necessário.

Lembre-se que o fundamental é mostrar porque o seu pré-projeto tem potencial e se destaca diante de outros.

Escolha um tema que te motiva e que você se interessa de verdade.

Por exemplo, se você está interessado em educação inclusiva, um tema poderia ser “Educação Inclusiva para Crianças com Deficiência Auditiva”.

Formule um problema de pesquisa em cima dele que seja uma lacuna no conhecimento da área em que você está.

Neste caso, o problema poderia ser: “Como a falta de formação dos professores impacta a inclusão de crianças com deficiência auditiva nas escolas públicas?”.

Não escreva nada muito vago, pois isso certamente te levará a uma reprovação.

 

O foco da pesquisa: o Objeto de Estudo

O seu objeto de pesquisa também precisa estar bem delimitado.

E fica a dica de professor.

Por mais que não pareça, mas quanto mais delimitado o objeto de estudo for, mais você terá chance de fazer um estudo aprofundado e focado, sem fazer desvios ou se perder.

 

Por exemplo, se o seu tema é “Educação Inclusiva para Crianças com Deficiência Auditiva”, um objeto de estudo bem delimitado poderia ser “A eficácia de métodos de ensino bilíngue (Libras e Português) para crianças com deficiência auditiva em escolas públicas de São Paulo”.

Esse foco específico – ou delimitação do tema – permite que você realize um estudo detalhado e relevante, aumentando as chances de sucesso do seu pré-projeto.

Lembre-se: a clareza e a especificidade são suas aliadas na construção de um pré-projeto para conseguir uma bolsa.

Vamos falar da justificativa?

 

Acerte na Justificativa do pré-projeto

Agora que você já sabe, a justificativa também não deve ser cheia de floreios.

Explique os motivos para sua pesquisa ser importante e relevante para a sua área de estudo.

Para fazer isso de maneira eficiente, demonstre o que sua pesquisa pode mudar na sua área e/ou como pode até mesmo ajudar a sociedade.

 

Por exemplo, se o seu tema é “Educação Inclusiva para Crianças com Deficiência Auditiva”, uma justificativa bem escrita poderia ser:

“Esta pesquisa é relevante porque aborda a lacuna existente na formação de professores para a educação inclusiva de crianças com deficiência auditiva.

A implementação de métodos de ensino bilíngue pode não apenas melhorar o desempenho acadêmico dessas crianças, mas também promover a inclusão social e reduzir a desigualdade educacional.

O impacto potencial desta pesquisa inclui a criação de políticas educacionais mais inclusivas e a melhoria da qualidade do ensino para crianças com deficiência auditiva em todo o país.”

 

A Metodologia e sua importância em um pré-projeto para bolsa

Sem uma boa metodologia, não há pesquisa que possa ser aprovada para um financiamento.

Defina qual será a sua abordagem de pesquisa e quais instrumentos você pretende usar.

Apresentar um bom conhecimento de métodos e técnicas te ajudará a alcançar os seus objetivos e fará com que o parecerista tenha uma ideia de como você levará a sua pesquisa adiante.

 

Além disso, você deve garantir que a metodologia seja viável e alinhada com os objetivos do projeto.

Por exemplo, se o objetivo do seu projeto é “avaliar a eficácia de métodos de ensino bilíngue para crianças com deficiência auditiva”, sua metodologia deve incluir técnicas de coleta de dados, como observações em sala de aula e entrevistas com professores e alunos, que sejam práticas e executáveis dentro do cronograma proposto.

E não se esqueça!

Crie um cronograma que seja plausível de ser concretizado.

Não adianta colocar que em um determinado espaço de tempo você dará conta de muitas coisas.

Os pareceristas sabem o que é possível de ser realizado.

Demonstre organização e viabilidade da sua proposta.

 

Referências e Anexos do pré-projeto

Seguir rigorosamente as normas de referenciamento e anexação de documentos é essencial para a aprovação do seu pré-projeto de pesquisa.

Um mero descuido com as normas pode comprometer todo o seu trabalho, pois as agências financiadoras valorizam a precisão e a organização.

 

Para garantir que seu pré-projeto atenda a todos os requisitos, verifique cuidadosamente quais normas de referenciamento são exigidas pela agência financiadora.

As mais comuns incluem as Normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), APA (American Psychological Association) e MLA (Modern Language Association).

Cada uma dessas normas possui especificidades que devem ser rigorosamente seguidas, desde a formatação das citações até a apresentação das referências bibliográficas.

Além disso, a inclusão de anexos pertinentes pode fortalecer o seu pré-projeto.

Anexos podem incluir gráficos, tabelas, mapas, questionários, entrevistas, e qualquer outro material que complemente e enriqueça sua pesquisa.

Esses documentos auxiliares devem ser claramente referenciados no corpo do texto do pré-projeto e organizados de forma lógica ao final do mesmo.

 

Por último, a Revisão

Muitas pessoas tendem a relutar a fazer uma revisão de um pré-projeto ou dar para alguém revisar. Isso é muito comum!

Não cometa esse erro.

Envie para alguém de sua confiança para que a pessoa possa pegar os erros de grafia ou erros que você já não está vendo por estar tão acostumado com o texto do pré-projeto.

Ter uma leitura externa pode ser de grande valia para o seu trabalho.

Além disso, caso esteja submetendo seu pré-projeto para uma agência em que possa ter um orientador, não se esqueça de solicitar que ele leia antes de você enviar.

Um orientador já sabe o que as agências de pesquisa esperam e poderá te dar dicas importantes de algo que você não percebeu.

A seguir, apresentaremos outras dicas práticas e úteis que não podem ser desmerecidas em seu pré-projeto.

 

Para qual agência financiadora você mandará seu pré-projeto?

Seleção da agência financiadora adequada para o seu pré-projeto de pesquisa
Dicas para selecionar uma agência financiadora que melhor se alinha com seu pré-projeto

Existem diversas instituições que financiam pesquisas tanto brasileiras como internacionais.

E, caso não saiba, você pode escolher mandar seu pré-projeto para quantas delas quiser.

A dica fundamental aqui é que você leia atentamente o edital de cada agência financiadora.

Isso é importante! Pois cada agência financiadora exige um modelo para receber o pré-projeto.

Caso você não siga os padrões que elas determinam, será automaticamente desclassificado.

Então, nunca deixe de ler atentamente para não acabar recebendo uma devolutiva negativa por um simples descuido.

 

Principais Agências Financiadoras de Pesquisa no Brasil

Principais instituições brasileiras que financiam projetos de pesquisa
Conheça a lista das principais agências de fomento à pesquisa no Brasil e suas áreas de atuação

Para aqueles que buscam financiamento para suas pesquisas, conhecer as principais agências financiadoras no Brasil é essencial. Aqui estão algumas das mais importantes:

 

  • CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico)

Vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), o CNPq  é uma das principais agências de fomento à pesquisa no Brasil. Ele oferece bolsas para todas as etapas da carreira acadêmica, desde a iniciação científica até o pós-doutorado.

O CNPq abrange diversas áreas do conhecimento, financiando projetos de pesquisa básica e aplicada, além de bolsas de produtividade e desenvolvimento tecnológico.

 

  • CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior)

Ligada ao Ministério da Educação (MEC), a CAPES tem como principal objetivo a expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) no Brasil.

Ela fomenta programas de pós-graduação, além de promover a formação inicial e continuada de professores para a educação básica.

 

  • FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo)

A Fapesp é uma agência de fomento do estado de São Paulo e é vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. Ela apoia projetos de pesquisa em todas as áreas do conhecimento, com ênfase em inovação e desenvolvimento tecnológico.

 

  • FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos)

Vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), a FINEP financia toda a cadeia de inovação, desde a pesquisa básica até a comercialização de produtos inovadores.

Seu foco está em áreas estratégicas e estruturantes para o desenvolvimento sustentável do país.

 

  • Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (FAPs)

Existem várias fundações estaduais que apoiam a pesquisa de acordo com as necessidades e prioridades regionais.

Essas FAPs promovem o desenvolvimento científico e tecnológico dentro de seus estados, oferecendo bolsas e editais que atendem às demandas locais.

Vamos deixar uma boa listagem abaixo.

Agora você já sabe. Essas agências desempenham um papel importante no desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil, oferecem suporte financeiro e estratégico para pesquisadores e instituições de ensino superior em todo o país.

 

Se for submeter para agências internacionais, lembre-se de fazer uma tradução profissional

Dicas para traduzir pré-projetos de pesquisa para agências internacionais
A importância de uma tradução de qualidade ao submeter pré-projetos para agências internacionais

Se você pretende submeter o seu pré-projeto de pesquisa para uma instituição internacional, como a Fulbright, por exemplo, não deixe de fazer as traduções para o inglês que forem solicitadas com muito cuidado!

O melhor é até mesmo contratar alguém que possa fazer uma revisão profissional para você.

Esse poderá ser um grande diferencial para o seu pré-projeto ser aprovado ou negado.

 

Separe toda a documentação necessária e atenção aos prazos!

Quando vamos enviar um pré-projeto para uma agência de pesquisa, precisamos anexar uma série de outros documentos.

Não deixe para reuni-los na última hora.

Poderá acontecer algum imprevisto e você não conseguir um documento.

Já pensou se você não acha um histórico escolar e precisa submeter este documento junto com o seu pré-projeto?

Será muito frustrante perder a oportunidade de enviar o seu pré-projeto simplesmente por esse descuido.

Sendo assim, quando tiver um tempo livre, reúna a documentação e já a deixe separada para não correr qualquer risco.

Da mesma maneira que cada agência financiadora possui um modelo de pré-projeto, cada uma delas também adota um calendário.

Assim, não perca os prazos.

Por mais que algumas instituições recebam projetos em fluxo contínuo (ou seja, você pode submeter seu pré-projeto em qualquer época do ano), não considere isso como universal.

Esperamos que você tenha aproveitado nossas dicas. Veja também outros artigos abaixo.

SOBRE O AUTOR – Fabio Herdy é um professor apaixonado por pesquisa e educação. Formado em Publicidade e Propaganda com especialização em Marketing, possui mais de 10 anos de experiência em pesquisa acadêmica e científica. Vasta experiência como professor universitário e orientador de projetos de pesquisa e TCCs na Universidade Candido Mendes, além de participante de bancas examinadoras de TCCs de diversas áreas de formação. Saiba mais.